24 de fev de 2011

Anhangüera dá Samba XLII

Tudo que se diga ou se escreva à respeito de Paula Sanches no Anhangüera no mês passado será pouco; será, inclusive, presunçoso. Há muito tempo se falava no nome dela pra compôr nossa galeria de convidados. Muita gente, em variadas ocasiões, me dizia, tentando surpreender: "- Tem que levar a Paulinha! Vai ser um estrondo!", como se eu não soubesse disso; como se fosse a descoberta do século.

Bato o olho na Paula e vejo uma diva - uma estrela mesmo -, e quem me conhece atesta que, se tem uma coisa que eu não sou, definitivamente, é baba-ovo. Impossível é não se deixar contaminar com sua presença na roda de samba. Poucas vezes se viu um coro como nessa roda; principalmente das moças - todas extasiadas! Interessante, ainda, é ver a força dessa nossa empreitada: Paulinha, pouco antes de arrebentar - repito, arrebentar! - na roda, confessou-me estar ansiosa. Bobagem; há aqueles que dominam, que fazem o público hipnotizar-se; e isso é pra poucos. Não, Paula?

Começar o ano do jeito que começamos é uma prova cabal de que este 2011 será um baita ano pro Anhangüera dá Samba!, que vai chegando aos 4 anos. Cliquem no play:



Hoje tem mais. Sobre o convidado especial, empresto - como sempre - de meu compadre Fernando Szegeri texto publicado em 2001 na Agenda do Samba e Choro:

Carioca de Braz de Pina, mas estabelecido em São Paulo desde os anos 60, Sílvio Modesto é uma das mais conhecidas e folclóricas figuras do samba e da noite paulistanos. Compositor gravado por Beth Carvalho, Jorginho do Império, Arlindo Cruz & Sombrinha, Benito de Paula, Originais do Samba e Jovelina Pérola Negra, entre outros; percussionista respeitado, tendo durante 17 anos integrado o famoso "Regional do Evandro" (pode-se vê-lo em várias edições dos programas "Ensaio" e "MPB Especial", gravados pela TV Cultura na década de 70); cantor cheio de bossa e grande contador de histórias, Modesto é o que se pode chamar do sambista completo, daqueles que sozinhos fazem o show, na linhagem - hoje praticamente em extinção - de bambas como Jorge Costa e Germano Mathias, para ficar só em São Paulo.

Clique aqui para ouvir um samba do Sílvio Modesto, em parceria com Caprí, gravado - e muito executado - por Bezerra da Silva: Os DP´s de São Paulo.

Até mais tarde!

1 Comentários:

Blogger Bruno Chagas disse...

Já tinha visto a Paula Sanches em outras rodas de Samba, por isso quando soube que ela estaria no Anhangüera, cancelei tudo e corri pra lá. Sorte a minha, sorte a nossa! Ela nunca decepciona.
Hoje é a vez de Silvio Modesto... Meu Deus...

Vida longa ao Anhangüera!

Abraço!

25 de fevereiro de 2011 17:44  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online