24 de dez de 2008

Zulu

Compungido, embargado, triste. É assim que sou hoje, véspera de Natal de 2008. Dona Maria, 90 anos, muito mais que eu. Hoje à tarde será realizado o enterro de seu único filho, meu amigo e tio (me chamava por sobrinho) Antonio Carlos Apolinário.

Meu querido Zulu era, acima de tudo, um profundo conhecedor da Vida e do Tempo. Não apenas por ser um homem religioso, temente a Deus; mas por ser dotado de um estigma divino, o de reconhecer o que lhe chegava não só aos ouvidos e ao tato, mas, principalmente, à alma. Zulu era apaixonado pela Vida, pelos amigos, pela noite e pela bebida. Esta última, aliás, que insistirão em dizer e teimar ter sido seu algoz, cruel e vil assassina, é que foi, em verdade, sua amante, seu esteio e seu bem-querer. Um homem que não tem uma mulher é, indubitavelmente, um solitário.

Zulu é o mais constante personagem deste miserável blogue - e isso nunca valeu como homenagem! – porque há na sua passagem um peso de mais, porque suas belas histórias vazavam-lhe pelos poros, e porque sua presença era sobrecarregada de uma magia indescritível. Mas de mim, não acreditem em nada, não; estejam na Casa Verde, na Barra Funda, estejam com quem, com ele, dividiu uma mesa de bar, com alguém que tenha tomado uma bronca – não era de alisar – ou que tenha apenas presenciado Zulu solicitando as milhares de saideiras ao Mauro; pedia apenas um "dedal" de cachaça pra não pesar a consciência de pedir uma dose inteira (o problema é que tomava dez, quinze "dedais" no fim da noite).

Em princípio não vou deixar de escrever sobre meu dileto amigo, não hesitarei em narrar mais causos dos tantos que sei dele, todos devidamente contados à mesa do bar, na Rua Dobrada. Lá que uma ou duas vezes por semana estava eu pra beber do prazer que era estar com Zulu. A última foi há duas semanas e me deixou muito preocupado. Zulu, mais pesado e inchado que nunca, mal conseguia dar dois passos sem ter que parar, recuperar o fôlego. Pra entrar no carro, aquele custo. Mas à mesa destilou a categoria de sempre. Falamos basicamente sobre trabalho, com o homem contando sua época de banco quando foi gerente de agência do Unibanco durante quinze anos - e apenas com terceiro ano primário, o que seria impossível de vinte anos pra cá.

O que mais me encantava era que Zulu é desses que, falando de trabalho, de mulheres, de futebol, de cachaça, de racismo, de política ou de qualquer outra coisa, transpõem os limites do assusto dando-lhe uma carga imensa de humanidade, inserindo-lhe ou tirando dele uma lição, uma conclusão que fazia questão de transmitir aos mais novos, com um detalhe: a quem quisesse ouvir, porque Zulu sabia que, para alguns, não adiantaria gastar a saliva.

Ditinho é um caso clássico. É um rapaz de dezenove anos que mora perto da Dobrada. Seu pai, morreu na cadeia; seus irmãos mais velhos também todos em cana; sua mãe, com mais cinco filhos mais novos que ele, um de cada pai. Zulu, durante anos a fio, tentou "trabalhar" o garoto. Comprava material escolar, queria ver as notas e não gostava de ver o moleque na rua. Até o dia em que Ditinho, bêbado, estranhou-o, solicitando com veemência e ódio uma nota de cinco mangos. Zulu largou de mão.

De dois anos pra cá, que é quando comecei a escrever e registrar algumas histórias por aqui, Zulu, meu grande amigo Zulu, interpelava-me ao final de algumas: "não vá escrever isso!", "isso não pode". Em uma dessas tantas noites, o negrão me pediu: "essa, filho, escreva no dia em que eu morrer". E vos confesso que choro neste momento como chorávamos naquela noite, embriagados, falando de amores.

Zulu teve um, e não mais que um único e inesquecível amor na vida. Uma mulher que passou pelo seu caminho há trinta e cinco anos atrás. Graças a ela e desde ela Zulu se auto-proclamou um "otário" pro resto de sua existência. Outras mulheres vieram, farras, saunas, zonas, amigas, namoradas; a última sendo a Augusta, há uns dez anos, mas nenhuma fez cócegas perto do que o homem sentiu pela Cristina, uma lourinha do interior, prostituta de uma boîte na Bento Freitas. Com lágrimas borbulhando, admitiu que não a reconheceria depois de tanto tempo, mas que gostaria que ela aparecesse ali, naquela hora, e que tudo explodisse, inclusive eu.

Na tal boîte, Zulu e alguns amigos do Bom Retiro batiam ponto diariamente na época. Dava cinco da tarde e lá estava ele, no bar da esquina. O gerente da casa era camarada, o que lhes dava o direito de entrar sem couvert, só pagando o "bebum". Cristina, a mais linda de todas – e mais jovem -, era o xodó da casa; em teoria só dançava, mas acabava "subindo" com quem lhe desse um dinheiro pesado, coisa que acontecia muito raramente. Zulu, um duro, ficava no balcão hipnotizado, vendo o show. Via com os olhos e lambia com a testa. Só que a moça gostou do negrinho e Zulu passou a ser o único homem com quem Cristina ia pros finalmentes.

O ego do malandro foi nas nuvens, e não era pra menos. Zulu jamais foi mulherengo, não era de ter sorte com as damas. Ele se salvava, e só. Mas estava com a mais linda das meninas da Bento Freitas a seus pés. E o medo, travestido de malandragem, tomou conta do crioulo. Continuou, sem se abater e se mostrar empolgado, bebendo no boteco em frente à zona. A Cristina dançava; ao final do expediente encontrava-o no bar e iam namorar. Com algum tempo passado, a moça começou a cobrar-lhe uma posição definitiva; queria casar, largar aquele mundo e cuidar dos filhos e da casa de Cacá – era assim que ela o chamava. Mas nosso herói era "malandro", era um homem do mundo, estava seguro de que a moça estaria sempre ali, e continuou na mesma ladainha boteco-motel que já durava quase um ano.

Uma bela tarde, porém, quando desceu do ônibus e dobrou a esquina da Bento Freitas, avistou Cristina entrando no carro de um japonês e indo embora. Foi a última vez que a viu, e a primeira que chorou e se angustiou por causa dela. Passou, então, a se declarar um otário, um idiota completo, porque a amava e sabia disso.

Gostaria, sinceramente, que este causo da Cristina fosse o último que eu escrevesse sobre o homem, daqui uns vinte anos no mínimo, quando ele estivesse com setenta e nove, oitenta. Não imaginava, tão cedo, essa doce prostituta, mulher do meu amigo, ser o motivo do texto. Se Deus quis assim eu não sei, mas sei que o Zulu quis, andava cansado.

Estou saindo de casa agora, em direção à Dobrada, onde um exército de amigos aguarda notícias sobre seu sepultamento. Onde ontem, aliás, Zulu, com todas as dificuldades que o aplacaram de três meses pra cá esteve bebendo, como que numa despedida programada. O mundo dos homens perde sem a sua presença. Eu, sendo mais um, tão pequeno, vou seguindo. Um dia, querido, havemos de nos encontrar no Orum.

E desce mais um dedal!

27 Comentários:

Blogger Bruno Ribeiro disse...

Favela: choro, neste instante, imundamente sobre o teclado, sobre o copo de cerveja que fiz questão de preencher tão logo recebi, por telefone, a triste notícia. Eu, que estive uma única vez com esta figura tremenda que era o Zulu, sei exatamente o que você sente agora, com a partida deste grande homem. Era um homem do povo, um negro consciente de seu passado e de sua história, um boêmio solitário, enfim. Era, querido, como você bem disse neste derramado texto, um homem que fazia deste mundo um lugar menos cruel. Não é à toa, quero crer, que tenha nos deixado justo na véspera de Natal. Quis o destino que a morte de Zulu coincidisse com o nascimento do Deus Menino - que haverá de recebê-lo, de braços abertos e metido em roupas pobrezinhas, no Orum misterioso, que é o destino de todos nós. Um brinde ao amigo (posso chamá-lo assim) Zulu, que numa tarde de sábado me ensinou tanto sobre dignidade e respeito.

24 de dezembro de 2008 18:02  
Anonymous Anônimo disse...

Espero que Deus ilumine sua alma assim como iluminou a sua jornada aqui com a gente.
Abraço e meus profundos sentimentos.

André

26 de dezembro de 2008 15:41  
Anonymous Carol disse...

Tuxca ... to no interior e o texclado sdo meu pai ta uma mersda ...
mas vxc vai entendser ... espero !! ehehehe

ja te contei o causo, dsa estradsa, vindso pra cá (S.J. sdo Rio Preto) ...
Pra mim, não há mais nasda a ser declarado, do que a aparição que carregarei comigo por tosda a eternisdade ...
Fica bem, irmão !!
Ele vai perxcorrer uma longa estrasda, e a mais linda estrada sdo mundso.

Fixca em paz !! e rezemos por ele !!
=(

beijão

26 de dezembro de 2008 15:57  
Anonymous glauton disse...

dizem q anjos nao tem sexo nem cor ... acaba de virar lenda: chegou um negrao la encima !!!

e continue contando as histórias dele por aqui !

Abraços ... e meus sentimentos !!

26 de dezembro de 2008 16:42  
Anonymous Daltinho (pai do Sherra) disse...

chorei.

26 de dezembro de 2008 16:56  
Anonymous Anônimo disse...

Sem palavras. Pelo ocorrido e pelo texto.

Axé,
Luiz.

26 de dezembro de 2008 23:40  
Blogger André Carvalho disse...

Favela

Zulu foi um privilegiado por ter você como autor de seus causos.

Através de seus textos, pude imaginar o quão humano ele era e pude perceber o tamanho de seu coração.

Axé!!!

Piruca

27 de dezembro de 2008 13:29  
Blogger Ary Marcos disse...

Querido Zulu, não me sai da mente o domingo que lhe conheci.

Em breve tomaremos umas aí neste boteco celestial. Fique em paz Jurujuba.

28 de dezembro de 2008 17:02  
Anonymous Anônimo disse...

Arthur,

Não tenho palavras para escrever o que o tio Zula representava pra gente...era nosso TIO de consideração e coração.

Muitos conselhos e diversas risadas..uma história excelente é aquela quando ele entrou com o tênis sujo de barro em casa, mamãe deu um puta esporro sem saber que o negrão estava lá..pensou que foi a gente, foi sensacional !

Deixo aqui postada a nosssa última recordação na festa de 80 anos do AAA. Ele nos amava e nós o amávamos muito, sei que esse sentimento estará com ele aonde quer que ele esteja.

BJS TIO ZULA !!!!!!

Angelo

ps: Arthur não consegui postar nossa foto..te mandei por email, por favor coloque no blogue.

2 de janeiro de 2009 10:09  
Blogger Bororó disse...

Zula , não éra deste planeta , creio que tivemos muita sorte em ter-lo em nosso convívio, jamais presenciei colocações "chulas" de sua parte, sempre refinado com uma linha de raciocínio bastante apurada. Vou guardar o samba que cantarolva toda vez que me encontrava bororó, bororó, bororó.........

3 de janeiro de 2009 16:27  
Blogger Szegeri disse...

Querido irmão: mais de um mês depois do tristíssimo acontecimento encontro-me finalmente com esta tua esplendorosa homenagem a essa inesquecível figura. Choro agora, em plena repartição, tudo o que não deu tempo de chorar naquela véspera de Natal. Mas não te avexe: rapidinho vamos começar a ouvir umas histórias por esses cafundós do meu Brasil sobre um preto velho chamado Zulu da Dobrada...

3 de fevereiro de 2009 18:29  
Anonymous Anônimo disse...

o que posso falar sobre zulu é que era uma pessoa especial,maravilhosa e com um coração de ouro.Quando trabalhava no bar da anhanguera fazia questão de abraça-lo quando chegava. Zulu e Meu pai Francisco ficavam no bar do zepo na rua tibagi jogando dominó e se divertindo muito ,espero que deus abençoe os dois lá no céu salve grande zula que deus o tenho,você jamais será esquecido e estará sempre guardado no meu coração

25 de julho de 2010 22:03  
Anonymous Anônimo disse...

HOJE PENSEI NO KK O DIA TODO, NUNCA FICAMOS TANTO TEMPO SEM FALARMOS, ELE SUMIA E DEREPENTE APARECIA OU ME LIGAVA PARA DIZER QUE O DIA ESTAVA MARAVILHOSO E ELE TINHA QUE ESTRAGAR E BATIA O TEL NA MINHA CARA.POSSO DIZER UMA COISA NUNCA FIQUE TANTO TEMPO SEM FALAR COM AS PESSOAS QUE VOCES AMAM PARA NÃO SENTIR A DOR QUE ESTOU SENTINDO.EU GANHEI UM PRESENTE EM CONHECE-LO A TRINTA ANOS ATRÁS E PERDI POR NÃO TE-LO PROCURADO E AGORA SÓ POSSO PEDIR A DEUS QUE CONSOLE TODOS NÓS.SAUDADES - CRIS

11 de março de 2011 18:36  
Anonymous Anônimo disse...

Trabalhei com esse cara por 4 anos, foi meu 1º emprego, meu 1º chefe.
Um mentor, com sua inteligência rústica, me ensinou coisas eternas e verdadeiras.
Nos desentendemos quando bati o carro dele, e por motivos familiares, não pude dar a indenização devida ao A.C.
Por + de uma vez, o procurei, tentei, porém a vida não permitiu, ao menos nessa vida.
Hoje com certeza ele estará + presente em minhas orações!!!
Fique com Deus A.C.Apolinário

Att. Douglas Siqueira

PS. Vcs lembram como ele ficava bravo ao ser chamado de berinjela!!!!

27 de julho de 2011 14:47  
Anonymous Anônimo disse...

Amazing blog! Is your theme custom made or did you download it from somewhere?

A design like yours with a few simple tweeks would really make my blog
stand out. Please let me know where you got your theme.
Bless you

Also visit my site - search
Also visit my weblog ; concrete concrete

11 de fevereiro de 2013 15:57  
Anonymous Anônimo disse...

Hola! I've been reading your web site for some time now and finally got the bravery to go ahead and give you a shout out from Atascocita Texas! Just wanted to tell you keep up the good work!

Feel free to visit my blog post; driveway
Visit my web-site :: driveway defined

11 de fevereiro de 2013 16:23  
Anonymous Anônimo disse...

Today, I went to the beach with my kids. I found a sea shell and gave it to
my 4 year old daughter and said "You can hear the ocean if you put this to your ear." She placed
the shell to her ear and screamed. There was a hermit crab inside and it pinched her ear.

She never wants to go back! LoL I know this is totally off topic but I had to tell someone!


my webpage ... loveless
Also visit my webpage ... sitter

12 de fevereiro de 2013 01:18  
Anonymous Anônimo disse...

Hey there would you mind letting me know which webhost you're working with? I've loaded your blog in 3 completely different browsers and I must say this blog loads a lot quicker then most.
Can you suggest a good internet hosting provider at a honest price?
Thanks a lot, I appreciate it!

Here is my website - whiz
Feel free to surf my webpage - indiscriminate

12 de fevereiro de 2013 02:55  
Anonymous Anônimo disse...

I've loaded your site in 4 totally different browsers and I must say this blog loads a lot faster then most. Would you mind contacting me the name of your hosting company? My personal email is: katharina-ryan@gmx.net. I'll even
sign up through your own affiliate link if you would like.
Thanks alot :)

My web page ... liberality

19 de fevereiro de 2013 02:51  
Anonymous Anônimo disse...

First off I want to say great blog! I had a quick question that I'd like to ask if you do not mind. I was interested to know how you center yourself and clear your thoughts prior to writing. I have had difficulty clearing my mind in getting my thoughts out. I do enjoy writing but it just seems like the first 10 to 15 minutes are generally wasted simply just trying to figure out how to begin. Any ideas or hints? Thanks!

Review my web blog :: strec

22 de fevereiro de 2013 11:03  
Anonymous Anônimo disse...

Today, I went to the beach with my children. I found a sea shell
and gave it to my 4 year old daughter and said "You can hear the ocean if you put this to your ear." She placed the shell to her
ear and screamed. There was a hermit crab inside and it pinched her ear.
She never wants to go back! LoL I know this is totally
off topic but I had to tell someone!

Here is my web page: reviews

22 de fevereiro de 2013 12:41  
Anonymous Anônimo disse...

Howdy just wanted to give you a quick heads up and let
you know a few of the images aren't loading properly. I'm not sure why but I think its a linking issue.

I've tried it in two different browsers and both show the same results.

Here is my web site ... strec

22 de fevereiro de 2013 12:42  
Anonymous Anônimo disse...

Hi! Would you mind if I share your blog with my twitter group?
There's a lot of folks that I think would really appreciate your content. Please let me know. Thanks

Here is my webpage :: packaging

22 de fevereiro de 2013 13:34  
Anonymous Anônimo disse...

Today, I went to the beachfront with my children. I
found a sea shell and gave it to my 4 year old daughter and said "You can hear the ocean if you put this to your ear." She
placed the shell to her ear and screamed.

There was a hermit crab inside and it pinched
her ear. She never wants to go back! LoL I know this
is totally off topic but I had to tell someone!


My page pakovanje

23 de fevereiro de 2013 05:55  
Anonymous Anônimo disse...

Hello there! I could have sworn I've been to this blog before but after checking through some of the post I realized it's
new to me. Nonetheless, I'm definitely delighted I found it and I'll be book-marking and checking back often!


Also visit my web site - information

6 de março de 2013 13:12  
Anonymous Anônimo disse...

Does your blog have a contact page? I'm having problems locating it but, I'd like to send you an e-mail.
I've got some suggestions for your blog you might be interested in hearing. Either way, great blog and I look forward to seeing it improve over time.

Also visit my web-site :: luggage storage paris

29 de maio de 2013 17:15  
Anonymous Anônimo disse...

Hi! I just discovered your web site: Blogger: Anhang�era when I
was exploring delicious.com. It looks as though someone appreciated your
website so much they decided to bookmark it. I'll absolutely be coming back here more often.

my webpage ... kongres advokata

2 de junho de 2013 04:51  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online