27 de nov de 2007

Anhanguera dá Samba VI

Nem o otimista poderia imaginar a belezura que foi a última edição do Anhanguera dá Samba!. Eu não presumia, confesso, que poderíamos reviver naquele espaço o ambiente do Cuca em tão pouco tempo. E eu senti - durante quase toda a festa - a emoção que me dominava nas sextas de três anos atrás, no espaço que o brasileiríssimo Mário de Andrade idealizou.

Quando relembro o Espaço Cuca, não quero (e nem tenho pretensão) comparar, tornar o Anhanguera igual. Apenas constato a força que o Diabo Velho tem (a Rua, o Clube e o Projeto), assim como o Cuca teve, de aglutinar gente. Gente nossa, gente do povo. O clube onde fazemos o samba é um espaço de resistência, é várzea. Um espaço de defesa da igualdade, de preservação de uma identidade que tanto querem - os vendidos - nos usurpar. O futebol varzeano foi, assim como foram os engraxates, um dos pilares de resistência dos negros e do samba em São Paulo. A confluência entre futebol de várzea e samba é o que estamos conseguindo realizar às últimas sextas do mês. Nesta próxima ainda comemoraremos, além do Dia do Samba, uma data especialíssima que me fez acreditar que a sorte, quando se faz necessária em tempos tão difíceis de tanta alienação e individualismo, aparece como uma dádiva que vem para dar cores mais lindas e comprovar que a luta não é em vão. Sexta Feira dia 30, nosso bairro, a Barra Funda, faz 117 anos.



Voltando à última festa, não só eu fui enfeitiçado pela grande comoção, mas todos os presentes que inundaram o Anhanguera para presenciar um Chico Médico que cantava tão feliz quanto uma criança ao abrir um presente. Aliás, o Chico era uma criança ali. Sorria, cantava e se embalava de maneira às vezes descordenada. Lembrava, com doçura, de gente antiga, de lugares antes freqüentados e de sambas históricos. Agradeceu seus mestres e foi devidamente homenageado por seus discípulos dos Inimigos do Batente, grupo que tem sido merecidamente elevado a grandes potências em todos os quintais e butecos em que faz samba. Assistam no vídeo abaixo o Chico mandando brasa:



Dando continuidade, o convidado especial dessa próxima edição é um grande baluarte do samba paulistano. Lutador ferrenho da nossa cultura e dos nossos costumes, Oswaldinho da Cuíca. Transcrevo abaixo texto do amigo André Carvalho, o Peruca:

Se tem alguém que pode ser chamado de “Enciclopédia do samba paulista”, esse alguém se chama Oswaldinho da Cuíca. Aos 67 anos, ele vive o samba em sua essência desde menino. Em suas apresentações, ele sempre conta um pouco de como o samba da Paulicéia era antigamente.

Sempre que pode, também toca frigideira e outros instrumentos que já não mais estão presentes nas rodas de samba de hoje em dia. E como seu nome sugere, domina como poucos a arte de tocar cuíca (fazendo inclusive solos impressionantes que eu nunca vi nenhum outro cuiqueiro fazer). E pra não deixar de registrar, foi o primeiro paulista a ser agraciado com o título de Cidadão-Samba.


Além disso, Oswaldinho ainda foi o fundador da Ala dos Compositores da Vai-Vai e integrante do tradicional Demônios da Garoa por muitos anos.

Ouçam “Rei Café”, samba de Geraldo Filme interpretado pelo Oswaldinho da Cuíca:

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA


Até Sexta!

9 Comentários:

Anonymous Daniel Frangiotti disse...

Meu Irmão, viva o Samba e nossa Várzea!!!

O projeto nos deixa cada vez mais emocionado e feliz!

Abraço

27 de novembro de 2007 16:49  
Anonymous Anônimo disse...

Grande Arthur ,

a última sexta feira de todo mês agora é sagrada !!!
Reencontrar o pessoal e ainda por cima escutar uma música de altíssima qualidade , isso realmente não tem preço !

Abraço mulek !!!

Gil

27 de novembro de 2007 17:00  
Blogger Fabio disse...

Grande Favela,

o quanto eu espero agora pelas últimas sextas de cada mês...como disseram, reencontrar os amigos e ouvir musica boa, e ainda, sem gastar tufos de dinheiro.

Porém, acho q não conseguirei ir nesta sexta. Farei todos os esforços do mundo pra driblar meus compromissos e estar no nosso velho e saudoso AAA.

Abração,
Sombra Fabio Bertolozzi

27 de novembro de 2007 17:34  
Blogger Craudio disse...

Favela, já virou tradição! E com esses convidados do primeiro time, é certeza de noites impagáveis no "quintal" do Anhangüera.

Pude estar em uma roda comandada pelo Osvaldinho em Pirapora do Bom Jesus, no Carnaval desse ano. O cara realmente é mestre.

Sexta é nóis! E hoje também! Vai Coringão!

28 de novembro de 2007 11:37  
Blogger André Carvalho disse...

favela... que coisa linda que é esse projeto! me emociona...

Tamo junto sempre

abração

Piruca

28 de novembro de 2007 11:41  
Anonymous Carol disse...

Arthuuuuca !!!!
Com certeza esse evento será lindo, assim como todos os outros. Muita energia, vibração positiva e muito samba !!!!!!

CONFIO EM VOCÊ, E NA FORÇA DO NOME ANHANGUUUUUUERAAAAA !!!!!!


Beijos ; Té sexta !

28 de novembro de 2007 13:16  
Anonymous Anônimo disse...

Você merece esse sucesso!
Sexta estou lá!
abraço!
MORAL

28 de novembro de 2007 20:20  
Anonymous MoMô disse...

Favela,

Seu blog além de tudo é cultura e informação pura. Eu nem sabia que era aniversário da nossa BF.
Torço para que a festa de hoje seja de mais sucesso ainda do que as outras.

bjo

30 de novembro de 2007 15:12  
Anonymous Samantha Russo disse...

Gostaria de ver no blog fotos da ultima festa onde houve homenagem aos presidentes do anhanguera.

16 de junho de 2008 21:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online