25 de set de 2008

Anhangüera dá Samba XV

Vira e mexe recebemos em nossa várzea convidados especiais de casa. Desde o começo, quando o gigante Wilson Moreira por lá esteve, planejávamos convidar grandes nomes do samba, gente consagrada e talentos indiscutíveis. O melhor de tudo isso é que vários deles são desses que a gente é amigo há tempos. No embalo de Chico Médico, Wilson Sucena, Fabiana Cozza, Velha Guarda da Camisa e Edu Batata, recebemos um companheiro da noite, Tião Preto. Particularmente, considero-o uma lenda. Tião é cobra-criada, vivido nas rodas de samba e nos de becos da cidade. Uma noite bebendo com o homem é uma aula da boemia mais vagabunda. Conviveu com os maiores malandros das décadas de 60 e 70, no meio de jogatinas, boates e sambas. É muita vivência!



Antes do Inimigos do Batente atacar, o grupo Choro em Linha de Passe estreou no Anhangüera. Segundo a insuspeita opinião de minha mãe, era isso que faltava pra turma do Sucatão e dos Veteranos do clube abraçar de vez o projeto. Os velhinhos, segundo mamãe, que não agüentam o tranco até as 4h da matina, aprovaram o chorinho até as 22h. E assim será; amanhã, a partir das 19h, pra quem sai direto do trabalho ou para os vagais que quiserem começar os trabalhos mais cedo (alô, Marquinhos!), tem choro antes do samba. Quando o Tião chegou acompanhado do irmão mais novo, seu fiel escudeiro, o samba já estava quente. Seu destino foi primeiro o balcão, mas não sem antes, pelo caminho, ser beijado e abraçado por quase todas as mulheres do salão. Depois cantou, e muita gente que não o conhecia me pegou pelo braço e disse estar impressionada. O estranho é que - e digo mais uma vez de minha parte - mesmo após tê-lo ouvido dezenas de vezes, continuo sempre me impressionando com o Tião Preto. Pra isso, basta vê-lo cantando Paulinho da Viola!

Amanhã a roda será histórica. Os Inimigos do Batente receberão diretamente do Rio de Janeiro a grande cantora e compositora Gisa Nogueira. Gisa tem músicas gravadas por Clara Nunes, Beth Carvalho, Elza Soares e por seu irmão, o monumental João Nogueira. Seu filho Didu Nogueira, cantor e produtor, também estará presente. A apresentação da Gisa no Anhangüera marcará sua volta a São Paulo – e culminará com a gravação de um DVD - após duas décadas em que se dedicou muito, além da música, às artes plásticas e à vida ativíssima de professora. É muita honra receber, após 20 anos sem se apresentar por estas bandas, esta cria dos Nogueira - nome cravado na mais alta galeria da música brasileira -, a Gisa.

Gisa Nogueira gravou apenas um disco, o clássico Saldo Positivo, em 1978. Deixo a música que dá nome a essa raridade, composta pela própria e cantada junto de seu saudoso irmão João, pra vocês sentirem o drama!

Até amanhã!

2 Comentários:

Blogger Ary Marcos disse...

Meu camarada, posso chegar às 18:00 só para ir ajeitando as cervejas na geladeira, e ir arrumando lugar perto da roda? Afinal de contas segundo o FHC, sou vagal eheheheh.
Parabéns por mais esta "pedrada"

25 de setembro de 2008 18:31  
Anonymous CArol disse...

Gisa Nogueira; foi espetacular !!!!
Parabéns !!!!!!! Que aula ...

Beijos

27 de setembro de 2008 10:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online