13 de jul de 2007

Desencontros amorosos

A arte da conquista através do papo, da lábia, é pra poucos. Neste quesito, conheço duas figuras que merecem respeito: Gilmar e Jaci. Cada qual com sua estratégia e personalidade na hora de cortejar a dama. Eu, inclusive, já presenciei algumas ocasiões em que eles saíram bem acompanhados após destilarem seus galanteios pra cima das inocentes vítimas.

O Gilmar é um coroa bem apanhado, daqueles à moda antiga. Tirador de sarro e malandro nato, é daqueles que chegam oferecendo um drinque e educadamente puxa uma conversa, tira pra dançar, paga a conta gentilmente, dá carona... O Jaci, que hoje é um sujeito sério e de uma mulher só, já foi um ávido, um tarado que não podia ver qualquer coisa que ovulasse, qualquer jogada de cabelo, que partia, como um atleta na prova de 100 metros rasos, pra cima. Alguns amigos o apelidaram de marinheiro, do tipo que têm uma mulher em cada porto. Mas como o mundo é cheio de surpresas, invariavelmente um ou outro fato jocoso que foge ao nosso controle acontece. Eu relatarei algumas dessas ocorrências.

Há uns dois anos, um Gilmar eufórico chega ao bar do Sinval e, com o braço erguido brada: “É hoje que vou pra cama com aquela gostosa!”... Ele investira um mês em ligações, jantares e presentes para tal escultura (segundo ele), que, fazendo jogo-duro, não permitia um mísero beijo, uma mão boba, nadica de nada, o que fazia com que o homem fosse à loucura e terminasse a noite, no auge dos 47 anos, como um adolescente, apaixonado e com bexigas (quem não souber o que são bexigas, pergunte ao avô) na cara. Neste fatídico dia ele ainda gastou os tubos num perfume para impressioná-la e, chegando bem perto do Bonitão, disse:

- Aí Bonitão, sente o aroma! Coisa fina, morô?
- Sai daqui, Gilmar. Prefiro meu Avanço! Isso aí fede demais. – Exalando um tremendo bafo de cana.
- Mas você é um mané, mesmo. Por isso que não come ninguém.
- Pergunta pra tua tia se isso é verdade. Eu tenho estilo, ô Nhonho! – Respondeu o delicado Bonitão.
- Bonitão, fica aí chupando o dedo que eu vou lá, ô tonto.

E foi saltitante para o encontro. Mal sabia que a noite não seria perfeita. Enquanto isso, no bar, os comentários rolavam: “Pô, o Gilmar tá com a bola toda hein!”, “É, deve ser um mulherão mesmo.”.
No dia seguinte, todos aguardavam ansiosamente a chegada do homem para contar como havia sido o encontro. Eis que chega o Gilmar todo arranhado e com um pé engessado. Pra que? A galhofa durou cerca de uma hora antes que o pobre abrisse a boca: “Saiu com a Mulher-Gato?”, “Ê tiozinho... Aposenta!”, entre outras zombarias. Até que Bonitão, danando de rir, questionou:

- Vai, Nhonho. Conta aí o que houve! Comeu ou não?
- Pô – emocionado – A noite estava ótima. Jantamos, tomamos vinho, um lero bacana. Ela tava linda! Que traseiro...
- Comeu ou não? – Respondeu um Bonitão impaciente.
- Saímos do restaurante... – silenciou por alguns segundos com um olhar absorto - ...Eu já estava convencido de que ia pro motel com ela. Eu não devia ter andado pela calçada.
- Fala logo, porra!
- Não olhei onde estava pisando. De repente, minha cabeça estava na altura do joelho dela. Eu caí num bueiro. Fiquei todo sujo e ralado até o peito! E ainda quebrei o pé. Não comi!! Pronto, respondido. Tá satisfeito?
- Não. Me dá o telefone dela que eu vou fazer o serviço.


Já no caso do Jaci foi amor à primeira vista. Ele conheceu a mulher num dia em que foi com o Gilmar (o mesmo) e o Bruno (meu irmão) no Mêmphis, uma boate bem esquisita, com umas bandas toscas e gente metida a besta. Pelo menos foi isso que me disse o Bruno, em quem confio cegamente.
Jaci avistou a moça sentada à mesa tomando um negócio e, com suas pernas em formato de ferradura – parece que ele desceu do cavalo e as pernas não voltaram ao normal – foi direto pra cima dela. Sentou-se. Papo vai, papo vem, e o Jaci, com seu jeito fino de nordestino, agarrou a mulher pelos braços com força e beijou-a. Ela adorou!
Cansado de ficar sentado, convidou-a para dançar. Convite que foi recusado várias vezes.

Logo depois, em uma conversa com os dois amigos, Jaci confessou: “Com essa eu namoro! Vocês viram que linda?”. É preciso fazer uma pausa importantíssima. O Jaci tem pressão baixa e sob qualquer coisa anormal ou inesperada sua pressão tende a zero.

Depois de umas duas horas e mais beijinhos e abraços, a moça diz ao Jaci: “Preciso ir ao banheiro.”. Subitamente, ela arranca debaixo da mesa duas muletas e se levanta com dificuldade. Jaci reparou que ela não tinha a perna esquerda e, instantaneamente, desmaiou. Desacordou e não voltava, tamanho o choque. Gilmar o levou correndo ao hospital.
Quando acordou, ficou deprimido por não ter o telefone da mulher que arrebatou seu coração e só se recuperou quando conheceu a Mônica, no final do ano passado...

7 Comentários:

Anonymous glauton disse...

A arte da conquista através do papo, da lábia, realmente é pra poucos.
Agora a arte da conquista através da insistencia é para um único ser, que ultimamente atende por Cafú !!!


abraços Kid.

13 de julho de 2007 22:08  
Blogger cris disse...

ótimo, ótimo... ri muito as custas do galanteio do Jaci. Essas histórias comprovam que o amor é mesmo lindo!!! O blog tá cada dia melhor,

Cris

15 de julho de 2007 18:48  
Blogger Craudio disse...

Porra, Favela. Quando comecei a lei sobre o Gilmar, fiquei achando que ele tinha conversado com o Juca...

Abraços!

16 de julho de 2007 00:36  
Blogger Craudio disse...

Em tempo, onde se lê "a lei", leia "a ler"...

16 de julho de 2007 00:37  
Anonymous Carol disse...

Hahahah ...
Exceleeente Tú.
Mto bomm ...
O Tio Bonitão sempre com essas, né meu ? Dou mta risada.
Mas o que acaba sendo o destaque dele, são aquelas duas camisetas, que já conhecem o Bar do S. Ramiro, Anhanguera, Sinval mto bem; a da pipoca, e a da cerveja ... ahahahhahahahahah ...
Nooooossa, eu não aguento. Hahhaha ...
Beijo!

16 de julho de 2007 07:51  
Blogger André Galiazi disse...

ahuahuahau muito bom!!
Boas palavras Kid

18 de julho de 2007 15:11  
Anonymous Fabiano disse...

Arthur, isso vindo da dupla Batman e Robin não me espanta. De fato o Jaci foi abençoado em encontrar a Monica, pois senão ele estaria perdido hoje.
abs e acho que esta na hora de vc postar algo sobre o Arnaldo.( o coroa tá com tudo ) pegou até mexicana.

25 de julho de 2007 16:26  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online