14 de jun de 2007

Não sou camaleão, sou Corinthians!

Algumas coisas que acontecem servem, no mínimo, para provar que estamos certos. Eu sustento algumas opiniões e não abro mão e sou extremamente intolerante, fazendo com que alguns amigos confiram a mim o título de radical, título este que em nada me afeta, visto que eu sei que sou mesmo para com algumas coisas. E cito aqui, já de cara, algumas delas que me causam horror e às quais declaro guerra:

- Smirnoff Ice: uma vodka de bicha.
- Todos os drinks escrotos, com nomes esdrúxulos, como Sex on the beach.
- Essa onda de roqueiros melancólicos, os Emos. Todos estavam na parada gay. Não tenho dúvidas.
- Assíduos freqüentadores de academia: bandos de escravos da imposição estética passam horas e horas malhando e se admirando frente ao espelho. Após a prática, ingerem fibras de alguma porcaria protéica, acompanhado de barras de soja e um Gaytorade pra repor as energias. Patético!
- Narguilé, aquele cachimbo usado pelos persas e turcos. Nada contra o cachimbo em si ou os turcos, mas putaquepariu, agora a molecada quer se aparecer fumando esse troço, com nojentos sabores de morango, cereja, hortelã... Carregam para bares, faculdade, casa de parentes. E a grande maioria não sabe nem tragar. Terrível. Tenho certeza que, se derem um trago no cigarro que o Tonhão da Rua Solimões fuma, um Eight, morrem na hora de insuficiência respiratória.
- Música eletrônica: pra mim, é um barulho insuportável. Meia hora ouvindo pode me levar à mais instintiva e primitiva reação, como assassinar um dj.

Têm outras, têm outros... Mas eu só queria citar alguns exemplos, pois vou mesmo é abordar especificamente um assunto, uma dessas patifarias. A abominável micareta. Eu fui a um bizarro evento desses. Eu fui... Em Novembro de 2005, movido pela paixão e para surpreender a recente namorada (estávamos juntos há cerca de um mês), que havia aceitado o convite de umas amigas para ir, me enfiei num Camaleão Fest, no Anhembi, show da banda Chiclete com Banana. Mas fui com ela, pois seria impossível encontrar uma pessoa no meio de uma multidão de 30.000. Era Domingo. Joguei no Anhanguera e fui com o mesmo tesão de quem dança uma valsa lenta com a avó.

Eu me arrependeria de ter ido, eu sabia. Mas houve um agravante. Foi no histórico dia em que o Corinthians sapecou 7 a 1 no Santos e eu posso assegurar que aquele foi o único jogo do Timão naquele campeonato que eu não fui em terras paulistanas. Vou narrar o acontecimento fazendo um paralelo com o épico jogo. Isso terá um nível de detalhes jamais visto neste blogue.

O começo do pesadelo se deu quando, em segredo, comprei o convite por módicos (notem a ironia) cem reais. Acabei contando pra ela e fomos no Sábado, um dia antes, retirar o horrível abadá, uma camisa regata azul bebê capaz de transformar instantaneamente qualquer feioso num bonitão irresistível para as barbies que freqüentam estes ambientes. Fomos a uma casa na Vila Olímpia (onde mais?) e após duas horas de fila e algumas latas de cerveja, pegamos o negócio.

Eu, tentando esconder de todo mundo essa minha imperdoável empreitada, fui vítima de uma caguetagem, até hoje não sei de quem. Quando cheguei em casa do futebol de domingo (a garota já me esperava em casa), apareceram Valtinho, Sabrina, Angelo, Bruno, Daniel e Tetê rindo escrachadamente da minha cara. Obrigaram-me, já na porta de casa, a vestir a porra do abadá (que depois serviu de pijama) e simular passinhos coreografados de axé. Eu, humilhado, me recolhi no banco do carro de meu pai, que, rindo, nos levou. Eram 14h30 e o sol rachava sem aliviar.

Com um trânsito ferrado na marginal do Tietê, meu pai nos deixou a mais de um quilômetro do lugar, já em meio à multidão. Minha primeira análise do que viria foi otimista. Pensei: “Bom, vou tomar umas cervejas e aproveitar e pegar sol, pois estou mais branco que minha bunda!”... Porém, logo depois, notei que a coisa seria feia quando vi uns vinte caras, mais-que-aparecidos, subindo e pulando numa caminhonete parada no trânsito, pilotada por uma assustadíssima senhora. Eles cantavam algum axé pornográfico quando um ônibus cheio de Gaviões que iam para o Pacaembu passou e mandou o grito de guerra ideal: “Ô bâmbi viado!”.

Ficamos num posto de gasolina esperando as amigas dela chegarem. Eu bebia cerveja e sabia que o jogo estava começando...

Corinthians 1 x 0 Santos – Procurando as amigas:
Houve um desencontro, celular não pegava. Com tudo isso e eu me esforçando tremendamente para conseguir esboçar um mini-sorriso com o canto da boca, decidimos partir ao encontro delas. Saímos do posto e andamos uns dois quilômetros em meio à legião de bobos empolgados.

Corinthians 1 x 1 Santos – Sem aviso:
No meio do caminho, uma pausa e um diálogo em tom de confissão e desespero: - Você não acredita! – e eu: - O que houve? – e ela, não conformada, com a cara fechada: - Acabou de descer. Preciso de um banheiro! Saímos correndo.

Corinthians 2 x 1 Santos – Eu, azarado:
O espaço era imenso, o que já me fazia acreditar que não encontraríamos as amigas dela e iríamos embora. Mas encontramos. Em meio a milhares de pessoas. Impressionante o meu azar. Para meu desespero, fomos em direção à portaria e avistamos uma muvuca gigantesca.

Corinthians 3 x 1 Santos – A entrada:
Esta com certeza foi a pior parte. O sol não perdoava e começava arder meu ombro. As pessoas se amontoavam para conseguir entrar. Eu me sentia uma sardinha em lata. Começou um baita empurra-empurra e era gente desmaiando, chorando, gritando, gente com fobia, neguinho metendo cotovelada, passando a mão. Coisa feia. Não tinha como voltar atrás e nessa altura eu me sentia o cara mais cretino do mundo – e naquele momento era mesmo. Após uns quinze minutos, a situação melhorou e conseguimos cair pra dentro.

Corinthians 4 x 1 Santos – O Show:
Ficamos lá atrás, com certeza os últimos, vendo bem de longe. Estava mais tranqüilo ali. A cerveja estava quente e meu estômago roncava. O som, amigos, uma bosta. O cabeludo (cantor da banda) parecia estar doente, não se mexia e fazia um esforço danado pra cantar... O pior é que conseguiu. Teve participação especial do Xande. Imaginem meu estado de humor: paguei cem paus e fui amassado na porra da fila pra assistir o Chiclete com Banana convidar o Xande pra rebolar no palco. Uma das cenas mais medonhas que eu já presenciei.

Corinthians 5 x 1 Santos – O público:
A verdade é que cada um curte sua onda e quem estava errado ali era eu. Ponto. Mas é de foder o povo que vai nessas festas. Pra começar, os caras. Na minha opinião, um bando de infelizes com auto-estima baixíssima, fazendo campeonatos de quem beija mais mulher. Eles beijam umas 20, 30... Alguns dizem que beijam 50 e por aí vai. Mas ninguém come ninguém. Derrotados. Bebem como quem nunca viu birita e caem, como dominó, um atrás do outro. Eu vi quatro caras vomitando um no outro, como um tipo de pacto bizarro. Triste... Encontrei ainda um rapaz que apanhava da molecada do bairro inteiro e era cheio de complexo dançando bisonhamente com uma mão no chão e simulando uma trepada. Repulsivo. Estava lá, todo fodão. Da mulherada, tenho pouco pra falar. Elas vão pro “arrebento” também, sem filtro.

Corinthians 6 x 1 Santos – Eu já sabia:
O sol já estava mais ameno, mas eu já parecia o Chapolin Colorado, quando tive o único instante de alegria. Todas as quatro amigas se olharam e, arrependidas, cravaram: “Que bosta!!”.

Corinthians 7 x 1 Santos – Chega!:
Após duas horas no local, fomos os primeiros a ir embora.


De tudo isso, a certeza que tenho é que recebi um dos maiores castigos por ter embarcado nessa furada. Eu perdi o melhor jogo do meu time nos últimos anos. Castigo merecido!

21 Comentários:

Anonymous Melissa disse...

Arthur
Nossa, acho que não preciso nem comentar santooo deus!!!!

Olha, sou apaixonada por chiclete com banana, mas beeem antes de virar essa modinha ridicula.
Vejo pessoas que nunca ouviram uma musica, mas de repende, POR CAUSA DA FEBBBREEEE RESOLVEM AMAR

São pessoas ridiculaaas, sem personalidade alguma.

Enfim, adoro, mas não tenho paciencia pra micaretas tbm.
São tantos pivetes meu deus....
Nem tem explicação...

Abraço
Essa foi a melhor
E eu me lembro mto desse dia
Eu desacreditei quando vc comprou esse convite huahuahuaahuahuahuahua

E vc é Loser, perdeu o melhor jogo do Timão mesmo...nossa, inesquecivel

Bjs saudades!!!!

14 de junho de 2007 16:43  
Anonymous Alemão... O retorno! disse...

ahaha eu tb nao curto micareta..mta genti mto bololo, parece o meio do segundo quadro! ahahah

''...pois estou mais branco que minha bunda!'' aahahaha com toda certeza esta...e eu tbm! ahaha

floww arthuuuu!
domingo to de volta, nao esquece ahaha

14 de junho de 2007 16:53  
Anonymous Denize disse...

Arthur,
Sei que a vida e as pessoas nos surpreendem constantemente, mas eu nunca esperei ser tão surpreendida constantemente por uma pessoa que "obrigatoriamente" eu deveria conhecer, por eu ser a mãe, ter dado a luz, a educação e blá,blá,blá, tudo isso é furado porque cada vez que leio suas histórias digo de mim para mim:
-Esse seu filho não existe!!!! Onde ele estava que voce não conhecia?
Beijos

Mami

14 de junho de 2007 17:30  
Blogger priscila disse...

melhor parte do texto 5x1.

oq o amor não faz, né? nesse caso, 10x0 pras mulheres. a sua, na verdade.

a única vez que tentei levar meu namorado em algum lugar que ele poderia não querer foi num flamengoXcortinthians no morumbi. ele não quis nem saber de ficar na minha torcida. final do jogo? uma briga conjugal, flamengo vitorioso e ex-namorado 10x8 em mim. só não foi pior pq o fla não falou. bjks

14 de junho de 2007 18:14  
Anonymous Carola disse...

Turro ...
To contigo e não abro ...
"A verdade é que cada um curte sua onda e quem estava errado ali era eu. Ponto."

Te vejo sábado ?
Beijooos

14 de junho de 2007 22:28  
Anonymous Daniel Frangiotti disse...

Não sou camaleão, sou Santos!

15 de junho de 2007 03:59  
Anonymous Ava disse...

É Arthur
Nessa dai vc se superou
Quem diria que um boemio nato como você(sem duplo sentido hauhaahua)
Iria em uma micareta
Mas o amor tem dessas coisas
Agora o jogo foi daquele campeonato que vcs ganharam no tapetão ou estou enganado
hauhauauahuauauaauhauauauahuauauahuauahauauahuahuauahuahuahuahuauahaaa
Abraços

15 de junho de 2007 10:23  
Blogger Craudio disse...

Impagável texto, Favela! Impagável!

As micaretas são, de fato, as piores coisas que já aconteceram na música brasileira. Mais insuportável, só o público que por lá aparece. E é bem esse papo de beijar 50 e voltar pra casa pra bater umazinha no banheiro. Fora a herpes que se deve pegar nesses lugares...

Sobre seus radicalismos (também sou um pouco, confesso), alguns pitacos:

- Smirnoff Ice: realmente, uma vodka de bicha.
- Drinks escrotos: aqui eu sou mais radical talvez. Pra mim, é cerveja, cachaça e tequila.
- Emos = bichas mal-resolvidas. Parada Gay: estava e já vou há 4 anos, por tb ser radical com relação a isso (acredito que sexualidade não é parâmetro julgador de caráter)
- Assíduos freqüentadores de academia: eu só frequento na mensalidade. Ir mesmo, dá pra contar nos dedos as vezes por mês.
- Narguilé: sem comentários...

Abraços! Vai sabadão ver o Coringão? Se for, me de um aviso para marcarmos de tomar aquela gelada antes de entrar!

15 de junho de 2007 13:48  
Anonymous ludmila disse...

Simplismente perfeito, concordo com tudo e não abro. Não pago nem um real pra ver esse tipo de coisa. Xande não dá manow!!!
AHUuhUHHUAuhUHUHAuhuhUHAuhuHAHU
AHUHUUHUHAUHuhHUuhuhhuhuUHUHhuahu
HUAHUhuUHuhHUHUHUHuhUHUHuhHUhuhuHU
HUAHUUHuhUHuhUHUHuhUHhuHUUHuhUHhuHU
Olha não sou Corinthiana, mas prefiro ir ao jogo do que a micareta.
Agradar a namorada é sempre certo.

QUERO QUE A NOVA MODA SEJA SE JOGAR DA PONTE. AI ESSE PESSOAL DJÁ ERA MANOW.


VALEU ESPERAR POR ESTE TEXTO!
hagyGYGYgyaygGYgyagyGYgyaygYGgy



BJOS
LOURDES

15 de junho de 2007 15:05  
Blogger Arthur Tirone disse...

Melissa: perdi o melhor jogo... Fazer o que, né? Inês já é morta. Beijo!

Alemão: branquelos somos nós!

Mãe: justamente por conhecer seu filho, deveria saber que não saio por aí alerdeando as coisas. Elas naturalmente aparecem. Beijão!

Pri: bem feito! deveria ter ido pra torcida do Coringão com teu marido!

Carola: Sábado? Não sei o que será de mim. Me liga! Beijo.

Daniel: 7 x 1.

Avary: Tapetão de cu é rôla.

Craudio: quando eu disse que os emos estavam todos na parada gay, quis dizer justamente o que você falou, que eles são bichas mal resolvidas. Não tenho nada contra gays e a parada, mas também não tenho a mínima vontade de ir... Nesse jogo eu não vou, mano. Vamos combinar outro! Abraço.

Ludmila: taí o texto tão aguardado por você. Beijo.

15 de junho de 2007 17:58  
Anonymous Anônimo disse...

Marcelo da Pesada

So tenho uma frase pra te dizer:
"Se fodeu"
perdeu o melhor show que poderia ter assistido em toda a sua vida. Aqueles 7 x 1 nao tem preço.

15 de junho de 2007 19:43  
Anonymous glauton disse...

Não sou camaleão, sou PORCO !!!



vc nao teria uma foto para mostrar à seus queridos leitores vc com este abadá ???

16 de junho de 2007 13:26  
Blogger Guilherme Parmegiani disse...

Hahahahahahahaha!!!
Eu lembro disso!!!
A notícia correu a cidade!
"Arthur Tirone vai pra micareta"

Hahahahahahahahahahaha!!!

Eu não sou nem um pouco radical, mas micareta NUNCA!

Beijos, moleque!

18 de junho de 2007 15:21  
Anonymous Anônimo disse...

Cabra,

Há algum tempo, não lia o blog (último texto lido foi o do Tio Hélio). Confesso que me espanto cada vez que leio você Cabra....sem palavras.

Você é um gênio com "o teclado nas mãos". Parabéns !!!!

A micareta foi ótima..hahahahaha. Farei uma revelãção bombástica: O safado adora aquela camiseta mamãe sou micareteiro..hahahahaha. Fora Cabra !! Fora Micaretas e FORA GAMBÁS...

VAI ANHANGUERA CARALHÔOOOO !!!! (porque o PAlestra não vai a lugar algum).

Bjs

Angelo

18 de junho de 2007 18:17  
Blogger valter_vieira99 disse...

Neste dia eu estava numa rave, tema este que um dia será abordado por meu parceiro em tom de crítica, tenho certeza. Mas daria tudo pra ter presenciado essa cena! Impagável!!

18 de junho de 2007 22:48  
Blogger Arthur Tirone disse...

Marcelo: Eu sei, malandro! E esse é o motivo do meu arrependimento!

Glauton: NÃO! Não existe foto!!

Gênio: Pois é... O que não faz uma caguetagem, né? Beijo!

Angelo: Obrigado pelos elogios. Agora, escute: o abadá está com os dias contados!

Valtinho: Irmão, finalmente comentou, hein!

19 de junho de 2007 15:15  
Anonymous Julinho disse...

Desculpe tenho que comentar nesse texto aqui tbm...
pq acabo de imaginar vc andando pela casa com o abadá e com o shortinho do corinthians!!! hahahah
hahahahahahahahhahahahahhaha

abrass!!

22 de junho de 2007 22:52  
Blogger André Carvalho disse...

Pior do que a sua tarde foi a minha neste dia... vi meu time tomar uma bucha da msi/argentina/corinthins.. 7 é foda

3 de julho de 2007 10:06  
Blogger André Carvalho disse...

mas foi a última derrota pra voces... de lá pra ca só deu peixe!!

3 de julho de 2007 10:07  
Anonymous Anônimo disse...

vAI TOMAR NO SEU CÚ SEU REVOLTADO DO CARALHO, FLHO DE UMA FANQUEIRA COM UNS CÚRINTIÂNUS CADEIEIROS. QUEM MANDOU VC NASCER POBRE SE ZÉ F.A.V.E;L.A.

1 de novembro de 2007 14:10  
Blogger Arthur Tirone disse...

Anônimo de merda: Não vou apagar seu comentário. Fica registrada aqui a covardia de gente que não tem coragem de mostrar a cara. Aliás, você é tonto, pois hoje em dia, corujão, existem meios bem práticos de localizar o ip de alguém.

1 de novembro de 2007 15:03  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online