6 de jun de 2007

Só dói quando eu rio: padrinho do Anhanguera

Eu ia postar um causo hoje. Não vou mais. Porque um motivo maior me fez escrever o que escrevo agora, ainda tomado pela emoção. Vou contar, mas antes preciso falar algumas coisas.

Primeiro que eu tenho uma mãe e um pai que são, de fato, guerreiros que jamais deixaram a peteca cair. Se eu conseguir passar pra frente metade do que eles me ensinaram, tenho certeza que serei bom pai. Rebatem a rotina do dia-a-dia com um amor inexplicável e são amigos dos meus amigos. Tenho com meus irmãos, Angelo e Bruno, relações diferentes e o mesmo amor. O Angelo, meu gêmeo, leva uma vida diferente, não tão vadia quanto a minha. O Bruno é meu mascote, meu companheiro. Eu protejo o pivete além da conta. Tenho tios e tias impressionantes. Tenho grandes e imprescindíveis amigos que, ao longo do tempo, já provaram ser mais que irmãos. Eu tive um avô que me legou o amor pelo pedaço de chão em que nascemos, a Barra Funda. Tenho o Anhanguera, meu time de fé, meu campo, meu futebol, meu Domingo. Tenho o samba, que percorre minhas veias noite e dia. Ele é minha cachaça, meu canto. Tenho um amor incomensurável pela noite e pelas coisas da noite. Eu já tive amores e quiçá terei outros pra me envenenar.

Eu tenho, meus caros, além disso, um grande amigo chamado Fernando Szegeri. Uma figura indispensável para mim, que está entre as melhores pessoas que já conheci. Dono de uma inteligência e sabedoria sobrenaturais, além de generosidade tamanha que mal cabe dentro dele. Pois hoje abri seu blogue, legítima fonte de cultura, e deparei-me com uma homenagem a este humilde blogue que vocês lêem, que não tem pretensão alguma a não ser imortalizar fatos ocorridos nessas bandas. Leiam o texto aqui.

Irmão, finalmente estou "batizado". Estamos na luta. Lado a lado!

6 Comentários:

Anonymous julinho disse...

Caramba Kid....
como estou dizendo para você no msn... a melhor coisa q aconteceu foi voce ter entrad na internet...
A cada historia aprendo mais e me identifico com o samba...
isso é uma aula... espero que vc seja meu professor!! hahahaha

Não pare nunca!!!
abraços!!!

6 de junho de 2007 19:34  
Blogger Eduardo Goldenberg disse...

Favela: taí! Agora fiquei com inveja de você...

Pô... li esse trecho de seu texto...

"Eu tenho, meus caros, além disso, um grande amigo chamado Fernando Szegeri. Uma figura indispensável para mim, que está entre as melhores pessoas que já conheci."

Eis o núcleo de minha inveja corrosiva: quem, meu caro, quem pode ser melhor que o Szegeri????? Ou melhor interpretando sua confissão: quem pode ser tão melhor quant ele????? Quem?????

Sujeito de sorte, você!

Beijo, vagabundo, e vida longa ao Anhangüera!

8 de junho de 2007 07:52  
Anonymous Carol Franco disse...

Tuuuuurro !!!!!!

Vc viu que o AAA tem um novo integrante agora ?
Filhotinho do Cycloone !!!!! Kyto* é o nome dele !!!! Hehehehehe ...
Lindo ...
Falando em Quitos; Conta uma boa dele aí !!!

Saudade Tuuurro !!! Beijooooo Beijoooo Beijoooooooo ...

8 de junho de 2007 18:09  
Blogger Arthur Tirone disse...

Julio: realmente a internet é uma puta ferramenta!

Edu: "entre as melhores" não significa que ele não possa ser o primeiro, né?! Eu sou mesmo um sujeito de sorte!
Beijo!

Carol: bacana, amanhã vou conhecer o Kyto! E outras do Quito virão à tona! Saudades também. Beijo!

9 de junho de 2007 22:15  
Anonymous Ludmila Dalanora disse...

Acho seus pais o casal mais bonito que já conheci, em todas as festas eles dançam como namorados. OBruno é meio grosseiro mas é meu amigo manow!HUAHUhuHUHAUhuHUUHAHUhuHUAu

BJOS
LOURDES

11 de junho de 2007 12:32  
Blogger Szegeri disse...

Favela, meu querido, obrigado. Você não devia ficar fazendo essas coisas porque já não sou criança e o velho coração tem apanhado mais que batido ao longo da caminhada. De modo que eu é que me emociono com as suas palavras. Como me orgulho da tua companhia, da tua amizade. Como me encho de alegria por ver que você tem no peito uma bela folhagem brotada das mesmas sementes que as minhas, Edu, Simas, Bruno e outros companheiros. Essa é a vida, meu caro: um olho na tradição que nos foi legada, outro no que queremos legar aos futuros, preservação e recriação. A cadeia se rompe se os elos são fracos. Se conseguirmos ser elos fortes da cadeia, nossa missão estará cumprida.
Beijo, mano.

P.S.: Sobrenatural de cu é rola!

12 de junho de 2007 18:59  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial

online