27 de jan de 2011

Anhangüera dá Samba XLI

O ano de 2010, se por um lado foi tão difícil para o Anhangüera dá Samba! - ano em que tivemos que dar uma pausa de dois meses -, por outro lado foi um grande ano: levamos dez bambas! Desde o começo do ano com Delcio Carvalho e Monarco, passando por Nei Lopes e Moacyr Luz e fechando com o Kiko Dinucci.

Kiko Dinucci - a quem chamo de gênio - praticamente dominou todas as ações na roda, que não foi propriamente de samba, diga-se. Seu repertório é composto de batuque, jongo, congada, tambu e, entre outros ritmos, o samba. Kiko, que nunca havia ido ao Anhangüera, deixou boquiabertos os que não o conheciam. E não foram poucas as pessoas que me bateram nas costas: "- Gênio mesmo!".

O momento mais bonito foi vê-lo cantando seu samba Roda de Sampa ali, na Barra Funda - bairro homenageado nessa música. Confiram:



Amanhã começam os trabalhos de 2011, e com um nome aguardadíssimo há tempos. Deixo abaixo um texto de Fernando Szegeri, no Samba-Choro:

Abrindo a temporada 2011 do Anhangüera dá samba!, os Inimigos do Batente e a A.A. Anhangüera recebem nesta última sexta-feira do mês a excelente cantora paulistana Paula Sanches!

Revelação do samba da Terra da Garoa, essa jovem intérprete impressiona, sim, pelo domínio das divisões e síncopas, mas sobretudo por uma verve particularíssima que já foi traço distintivo de uma escola de grandes sambistas destas plagas, da linhagem nobre que congrega gente do porte de Caco Velho, Germano Mathias, Miriam Batucada, Jorge Costa e Isaurinha Garcia. Esta última, aliás, inspiração e influência maior de Paulinha, como é carinhosamente chamada pelas rodas da cidade.

Promessa de muito samba sincopado, regado a cerveja e garoa, em celebração ao samba tão brasileiro que se faz sob as saias dessa Velha Senhora, de seus 456 anos recém completados.


Fica, ainda, um áudio da música Não Bula na Cumbuca, de Paulinho Timor, interpretada pela nossa convidada:

Get this widget Track details eSnips Social DNA

Até amanhã!

online